De acordo com a Escola Samkhya de Filosofia, na Índia, os Tattwas são os métodos para se entender os Cinco Elementos Alquímicos e a forma pela qual interagem, criando-se uma progressão lógica para cada grau elemental.

O Sistema Tattwa original foi desenvolvido pelo indiano Maharshi Kapila como parte de sua Filosofia Samkhya.

Isto foi mais ou menos em 700 a.C., mas as raízes da Filosofia Tattáwica encontram-se, no mínimo, em 2.000 A.C.

A Filosofia Samkhya de Kapila divide o Universo em cinco formas Tattáwicas básicas, que interagiram formando vinte e cinco Tattwas.

A palavra Tattwa é a junção de duas outras: Tat (que significa Aquilo) e Twam (que significa tu).

Tattwa, basicamente, significa tudo, aquilo que tu és, a verdadeira forma de tudo.

Tattwa geralmente é traduzida como qualidade.

Mas, Tat representa Deus e Twam o indivíduo, significando: Isto (que é o Universo) és tu.

Similar ao axioma Hermético, O que está em cima é como o que está embaixo, se relaciona diretamente com o conceito de Macrocosmo (Tat, Deus) e Microcosmo (Twam, indivíduo).

As escolas de Hatha Yoga de Filosofia Tattáwica ligam a energia da respiração (Prana) com o ciclo dos cinco Tattwas.

O oitavo capítulo do Shivagama é, A Ciência da Respiração e a Filosofia dos Tattwas, descrevendo o Universo como criado nos Tattwas, sendo instrumentalizado pelos Tattwas e desaparecendo nos Tattwas.

Conhecendo os Tattwas, se conhece a natureza do Universo.

Os Tattwas são as cinco modificações da Respiração

 

Prana – o Principio Vital do Universo (Macrocosmo) e do homem (microcosmo).

Prana é comum aos cinco Tattwas.

Este estudo tem por finalidade apresentar para reflexão alguns fragmentos da obra El Tatwametro o las Vibraciones del Eter (em muitos casos editados, pois o texto que consultei está em espanhol) de autoria de Henrich Arnold Krumm-Heller (1876 – 1949), médico, ocultista e rosacruz de origem alemã, mas que viveu muitos anos no México. Krumm-Heller fundou a Fraternitas Rosicruciana Antiqua (FRA) – uma tradicional Ordem Iniciática Rosacruz que atua particularmente nos países de fala hispânica e no Brasil.

Como este estudo é superficialíssimo e se destina particularmente a divulgar, para os que não conhecem, certos aspectos da Filosofia Tattáwica, se você estiver interessado em ler a obra integral de Krumm-Heller, poderá lê-la ou baixá-la AQUI.

Fragmentos Escolhidos

Os Tattwas, segundo os hindus, são forças tanto misteriosas quanto potentes.

Tattwa é vibração do Éter , o grande suporte da que não se move não existe.

A condição primordial da matéria é, pois, o movimento vibratório.

E assim, tudo o que existe se move, e tudo o que se move vibra.

No átomo reside a intimidade da Vida.

Como disse o cientista mexicano Alfonso Luis Herrera López (1868 – 1942), ‘os átomos viverão sempre, com as suas vidas ardentes, flutuando de forma em forma, de congregação em congregação, de mundo em mundo, de um centro de Luz a outro.

Reencarnação —› eterno ciclo, in sæcula sæculorum, através da Vida Universal.

Cada átomo é provido de uma alma, e o Éter Cósmico está constituído de átomos.

Para Alfonso Luis Herrera López (1868 – 1942), ‘o Éter é a substância fundamental do Universo.

‘O éter é apenas o efeito; por trás dele há uma força mais sutil.

Prana é a força modeladora do Universo.

Prana é movimento, vibração, sensação de peso, luz, calor, eletricidade, magnetismo etc., especialmente em sua forma primordial.

Prana é a vida do éter.

Tomada do sânscrito, esta palavra pode ser traduzida por energia absoluta.

Sem Prana não poderia haver nada vivo em a Natureza.

Prana —› Akasha —› Éter —› Tattwas. 

Akasha é uma modificação do Prana.

Tudo o tem forma e aspecto deve sua evolução ao Akasha, que, por influência do Pranase converte em matéria.

Para todas as coisas do mundo, é o invisível que produz o visível.

No Universo, tudo é harmonia, e todas as formas são moldes de sons ou de outras vibrações musicais.

O éter é, então, o meio eterno em que ressoa o coral maravilhoso e solene do Illimitatus (Ilimitado).

Em a Natureza, persiste um constante e eterno se desfazer e se produzir. 

Todo homem que, em absolutoconseguir dominar o Prana e, com ele, os Tattwas, será senhor de seu destino.

Para ele, não haverá doença, velhice, dor ou preocupação; para ele, todo o sofrimento terreno já não mais existirá.

Nenhum inimigo terá poder sobre ele, e não haverá nada que ele ignore.1 

Ele, que reconheceu o Prana e sabe lidar com os Tattwas, sabe manejar todos os segredos mais íntimos da Natureza.

Só aquele que dominou os Tattwasabriu seu Olho Interno e despertou aquele sentido, através do qual, são entendidas as relações íntimas do Universo.

E assim, este homem renascido poderá curar as doenças, desinfeccionar as feridas e aliviar as dores do corpo e da alma. Estando a sua própria alma saudável e em harmonia com o Universo, seu poder será uma bênção para ele e para os outros.

Todavia, infelizes aqueles que ainda estiverem emaranhados nas redes de ‘mâyâ’ e, de uma forma ou de outra, se apoderarem destas Forças.

A Tocha da Luz Eterna da Verdade será, em suas mãos, um fogo destruidor, e este fogo prejudicará não apenas a eles, mas a todos os que se aproximarem deles.

Neste campo, a Lei é: Altruísmo.

E o Verdadeiro Altruísmo só se manifestará se e quando a Rosa florescer na Cruz! 

Os magos negros, que invadem as Leis Harmônicas do Universo, perturbando a harmonia cósmica e causando dor e sofrimento, inexoravelmente sucumbirão em sua própria obra fatal.2

Devemos ter todo cuidado para não nos tornarmos discípulos-escravos-involuntários e instrumentos-inocentes-cegos dos Irmãos das Sombras.

As Forças Prânico-Tattáwicas são uma faca de dois gumes que só podem ser concertadamente manuseadas pelos puros, pelos pacíficos, pelos livres, pelos fortes e pelos virtuosos.

Uma metralhadora na mão de uma criança… 

A expectativa de recompensa é uma forma de egoísmo.

Tudo o que ultrapassa os limites da Ética é Magia Negra.

Seqüência dos Tattwas Akasha – Princípio Etéreo.


  • Tejas – Princípio do Fogo.
    • Wayu – Princípio do Ar.
    • Apas – Princípio da Água.
    • Prithvi – Princípio da Terra. 

Durante duas horas, cada Tattwa vibra necessariamente vinte e quatro minutos no seu tom principal, e tudo começa com o nascer do Sol, com a vibração de Akasha.

Método simples para conhecer a cor do Tattwa que vibra em um dado momento:

1º) virado para o leste (oriente), sente-se em um lugar confortável e tranqüilo;

2º) sem fazer muita pressão, tape as orelhas com os dois dedos polegares;

3º) tape as olhos com os dois dedos indicadores;

4º) tape as narinas com os dois dedos médios;

5º) tape a boca com os dois dedos anelares e mindinhos.

Tudo assim devidamente obstruído, retenha a respiração por alguns segundos.

Gradualmente, depois de alguns momentos, será possível ver a cor do Tattwa que vibra.

Ao longo do dia, a cor percebida variará de acordo com o Tattwa que estiver vibrando naquele momento:

Akasha = coloração negra ou incolor;

Tejas = coloração vermelha;

Wayu = da coloração azul à verde;

Apas = coloração branco-cinzenta (só os altamente desenvolvidos vêem uma cor branco-diáfana);

Prithvi = coloração amarela.

As nossas narinas são a porta principal para a Vida Universal, e cada cavidade nasal é sempre mais ativa por duas horas, alternando entre a positividade (mais ativa) e a negatividade (menos ativa).

Os Iniciados, que conhecem estas forças, têm designado a respiração pela cavidade direita de ‘suria’ ou ‘pingala’ (respiração solar), e pela cavidade esquerda de ‘chandra’ ou ‘ida’ (respiração lunar).

A respiração paralela, na mudança das duas horas, é denominada de ‘susshuma’.

Então, é fácil compreender que nossas atividades diárias deverão, sempre que possível, estar harmonizadas com estes princípios.

Quando sentimos fome, sede ou sono, por exemplo, é porque as vibrações Tattáwicas em nós reclamam por alimento, bebida.

Os Tattwas têm uma influência determinativa em todas as ações da nossa vida.

Tudo o que é feito na vida humana dependerá em qual Tattwa se comece.

O domínio dos Tattwas exige pureza de Coração e desejo sincero e categórico de fazer o Bem.

Só um Mestre de sua natureza interna poderá efetivamente dominar e fazer bom uso dos Tattwas.

Quem alcançou um desenvolvimento mais avançado, no momento em que Tejas (Princípio do Fogo) começa a vibrar, sente uma confiança absoluta em si mesmo, pois as vibrações de Tejas estão relacionadas com as vibrações do Sol e de Marte. 

No intervalo vibratório de Tejas, serão mais intensas as aspirações de Liberdade, de Luz e de Verdade.

Prithvi é o Tattwa da alegria, da vida, do prazer, de gozo pela beleza da Natureza, mas, também, está vinculado à justiça, ao humanitarismo e ao amor universal.

O amor à vida se traduz como caridade, compaixão, bondade e em todos os sentimentos nobres. 

Prithvi representa a coesão, e, assim, leva à solidariedade, pois está também ligado à veneração, à devoção e à oração.

Prithvi, por simbolizar o otimismo são e o idealismo prático, pode ser resumido da seguinte forma: a cada um o que é seu; viva e deixe viver.

Todos nós devemos vibrar o máximo possível neste Tattwa para que a Rosa possa florescer na Cruz. 

O Tattwa Apas é o contrário do Tattwa Tejas.

Todas as condições da vida que correspondem a Apas têm em Tejassua oposição.

Apas é o Tattwa da acomodação, da riqueza e da opulência.

Apas opera em dois sentidos: nos seres de baixo nível moral, produz o egoísmo e a cobiça, e os levam à paixão e à gula, pois governa todos os prazeres materiais; aos indivíduos mais elevados, conduz a uma maior concentração e à assimilação dos seus estudos.

Nos artistas, Apas estimula a intuição e desperta apercepção artística no mais alto grau.

Apas, por ser o Tattwa de Vênus, é, particularmente, o Tattwa do amor sexual.

De maneira geral, Apas carreia alegria, paz, gozo, brincadeira, dança e prazeres de todos os tipos.

Para o princípio orgânico, o Tattwa Akasha é um elemento de destruição e de abolição.

Este Tattwa não é influenciado por Mercúrio, mas, sim, por Saturno – a espada da justiça, e, assim, é o realizador do destino cármico.

Do Akasha partem os outros Princípios Tattáwicos, que proporcionam vida e movimento, e no Akasha deverão se dissolver. 

Enquanto vibra o Akasha, não devemos fazer nada; devemos nos isolar, ficar tranqüilos em meditação e nos entregar ao pensamento sobre o Princípio de todo o Ser.

É isto o que aconselha a Filosofia Indiana.

Akasha é também o Tattwa da morte.

A maioria dos que fazem a transição dá o último suspiro em Akasha.

Tudo o que corresponda à velocidade e ao movimento está sob o domínio do Tattwa Wayu, pois ele está sob a influência de Mercúrio. Em Wayu, são produzidas as maledicências, as desfigurações, as difamações e as calúnias.

Em Wayu as mentiras e os enganos comemoram, então, seus triunfos.

Para tudo, deveremos sempre dar mais atenção ao Tattwa pessoal (individual), que, como é sabido, é muito mais ativo do que o do Macrocosmo.

Todavia, tudo depende de um nível moral superior, pois o manejo dos Tattwas só é efetivo (para o Bem) nas mãos de um homem puro, e a Chave radica na perfectibilidade do Eu Interno. Desgraçada seria a Humanidade, se pudesse desenvolver os poderes mais sublimes, sem cuidar do desenvolvimento do Homem Interior, pois, ao invés de ser senhora dos Tattwas, deles seria escrava!

Para se aprender a reconhecer os Tattwas, deveremos praticar o que se se segue, o mais freqüentemente possível.

Em dias claros, bonitos e sem nuvens, deveremos procurar um cantinho em uma floresta ou em um bosque, e, longe da agitação do mundo, deveremos descontraída e confortavelmente deitar na grama.

Respiremos um pouquinho ritmicamente, removendo todos os pensamentos e eliminando a tensão de todos os músculos.

Ponhamos de lado as tristezas e as frivolidades da vida diária, e deixemos que a nossa alma seja invadida por uma harmonia pacífica e manifestamente espiritual.

O domínio dos sentidos deve ser reduzido, isto é, não se deve tentar ouvir nem ver nada.

Tendo conseguido isto por algum tempo, deveremos olhar para o céu azul, sem expor os olhos diretamente aos raios do Sol, e, em seguida, expressarmos a vontade de que se manifeste do alto – do Macrocosmo – o Tattwa dominante.

Os olhos devem permanecer abertos e devemos evitar piscar. 

Quem pisca muito não realiza nada.

Aos poucos, se verá que, no céu, se produzem ou se fazem ver seres brancos que descem e sobem, e este fenômeno aumentará e permitirá que até se veja as coisas mais maravilhosas do mundo astral.

Se você tiver paciência, a cada dia, verá aumentar esta sensação, e observará seres sempre mais densos.

Este é o método mais simples para se desenvolver a clarividência, mas não se deve abusar deste exercício.

A apresentação (representação) dos Tattwas é individual, de modo que um padrão de manifestação que serve para uma pessoa, em princípio, não poderá servir para outra; como tudo, é uma experiência puramente pessoal.3

Sistema e Ordem

Só sistema e ordem poderão organizar a balbordem.4

Só amor e compaixão poderão fazer falar o Coração.

Só ternura e humildade poderão amenizar a Saudade.5

Só irmandade e justiça poderão desmantelar a chiça.

Só a compreensão poderá gerar a manumissão.

Persistindo parolos,arre, só faremos autogolos!

Autogolo

Notas:1. Creio que, aqui, o meu Irmão Krumm-Heller usou meio que uma licença poética educativa, pois não adoecer, não envelhecer, não se preocupar, não sentir dor e não ignorar absolutamente nada é equivalente a estar integralmente fundido com a Consciência Cósmica, e aquele que se fundiu à Consciência Cósmica não é mais homem ou o que seja, por assim dizer, pois já não possui mais nem querença nem individualidade.

É, digamos assim, a própria Consciência Cósmica – o último ato de uma longuíssima Caminhada, sem começo nem fim, do qual cada um de nós – se quiser – haverá de, um dia, conscientemente realizar/participar, pois, tudo e todos nós saímos da Consciência Cósmica e à Ela retornaremos.

Na verdade, não saímos de coisa alguma para entrar em coisa nenhuma; apenas esquecemos de que a Consciência Cósmica é a nossa origem, o nosso sustentáculo e a nossa manutenência.

Como poderíamos estar apartados da Consciência Cósmica?

Desviados, talvez; esquecidos, certamente.

Logo, recordar é preciso!

Mas, que não nos iludamos: salvo melhor juízo, penso que o processo de recordação dure um tempo tão imensurável que a própria recordação vai se diluindo neste tempo.

E, quando o ente der pela coisa, não será sequer mais ente; será conscientemente unidade na Unidade.

Se quiser.

  1. Mas, não foi exatamente isto o que aconteceu com o Großdeutsches Reich(Grande Reich Alemão)?

E não foi exatamente isto o que aconteceu com outros reichinhos e reichões do passado?

A droga toda é que esses adolfinhos, al-Gaddafinhos  e al-Assadinhos não aprendem!

O pior é que eles pensam que seus países são capitanias hereditárias e que os cidadãos devem ser serviçais sem voz, sem voto, sem direitos… sem porra nenhuma.

Depois… Bem, depois é depois!

O que nós podemos e devemos fazer é orar por todos eles.

  1. Tenhamos sempre em mente que nenhuma experiência poderá ser transferida, pois todas as experiências são individualizadas e personalizadas.

As apresentações (representações) coletivas têm outra natureza.

  1. Balbordem= balbúrdia + desordem.
  2. Saudade Metafísica – Aquilo que, em nós, tende ou faz tender, por assim dizer, de forma místico-espiritual-imantativa para o nosso Deus Interno (in potentia) e para a Unidade Cósmica (Lex Æterna), desde sempre Una e Idêntica a Si Mesma.

Páginas da Internet consultadas:

http://oceanwisher.tripod.com/
indianaindpls2.html

http://www.angelfire.com/realm/
robinhood/teoria/teoria.htm

http://bestanimations.com/Nature/
Flora/Roses/Roses2.html

http://www.keywordpictures.com/
keyword/iron%20atoms/

http://commons.wikimedia.org/wiki/File:
Pyrite-Chalcopyrite-Sphalerite-46860.jpg

http://www.thunderhealing.com/rock/p.html

http://en.wikipedia.org/wiki/File:Tattwas.PNG

http://mobilethemesbest.com/wallpapers-2/
atom-animated-wallpaper-176×220.html

http://www.mathworks.com/matlabcentral/
fileexchange/21944-animated-gif

http://en.wikipedia.org/wiki/Vibration

http://magicalpath.net/an-introduction-to-tattvas/

http://sivasakti.net/yantras/tattvas.html

http://portaldemandalas.blogspot.com.br/
2011/09/o-que-sao-tattwas.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tattva

http://eruizf.com/biblioteca/r_c/arnold_krumm_heller
/arnold_krumm_heller_el_tatwametro.pdf

Revisão: SR.Black

Compartilhe esse conhecimento com seus amigos(as)…

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Entre com seu comentário
Entre com seu nome