ATENÇÃO – CONTÉM SPOILERS DO FILME

Precisamos falar sobre o Thor em Vingadores: Ultimato.

Precisamos falar como o personagem virou a representação da DEPRESSÃO.

Muitas pessoas desgostaram da leitura do personagem e do rumo que ele tomou nesse último filme, mas ainda não pararam para analisar afundo as razões do personagem estar daquela forma.

Thor sempre foi um homem não acostumado a perder, extremamente cheio de si, da sua força e de quem ele é.

Perder nunca foi uma opção e ele nunca soube o que era isso.

Ele sempre teve confiança em si mesmo e em seu poder, não sendo a toa que intitula-se como o Vingador mais forte.

“Isso é o melhor que você pode fazer?”, ele questionava Ultron na batalha final de Sokovia.

Primeiro, ele perdeu sua mãe, perdeu seu relacionamento, perdeu seus companheiros de guerra, perdeu mais da metade do seu povo (Hela começou o serviço e Thanos terminou), perdeu seu pai, Odin, perdeu Asgard, perdeu seu melhor amigo, Heimdall, perdeu seu irmão, Loki e perdeu para Thanos no fim de Guerra Infinita.

Há uma cena muito especial no filme, onde ele conversa com Rocket e diz: “O que mais eu poderia perder?”.

Thor foi derrotado e culpou-se por não ter mirado na cabeça; ele se deixou levar pela vingança e estava com prazer em ver Thanos sofrer.

E ele perdeu a guerra. Ele fracassou.

No começo de Ultimato, o vemos extremamente solitário e quieto, atormentado.

Quando os Vingadores vão até O Jardim encontrar Thanos para desfazer o que ele tinha feito e descobrem que o Titã destruiu as Jóias do Infinito, é nítido na reação do Thor que ele está tremendo de raiva e angústia.

Antes do vilão começar seu monólogo, ele arranca sua cabeça e afirma pra si mesmo “Eu mirei na cabeça”.

Ele não pensou duas vezes.

E ele foi o primeiro a sair da cabana sem falar com ninguém.

A morte de Thanos não trouxe nenhum conforto e não tirou nenhuma de suas dúvidas: matá-lo não aliviou sua culpa e não o fez se sentir melhor.

Cinco anos se passaram, e o encontramos na Nova Asgard quando Hulk e Rocket vão pedir sua ajuda.

Quando ambos falam com a Valquíria, imaginamos que vamos encontrá-lo deprimido e triste, mas não.

Vemos ele sorrindo, jogando videogame e aparentemente se divertindo com Korg e Miek.

Mas ele não está: ele não sai de casa, ele lida com a depressão com álcool, ele não encontra motivação em nada e não liga para absolutamente nada.

E essa é a cara da depressão: um rosto sorridente, encontrando todas as formas para lidar com ela dos piores jeitos possíveis e negando que exista um problema.

As pessoas que sofrem com depressão não recebem ajuda ou não são notadas porque todos vêem um rosto sorridente e não um chorando, então acabam por não acreditar na pessoa.

Thor em Ultimato é também um retrato da atualidade de hoje: da cobrança excessiva que temos com nós mesmos, de fracassos que não saem das nossas cabeças e de como lidamos com eles.

Thor foi um dos meus personagens favoritos em Ultimato, e espero que depois de ler isso, você também passe a vê-lo com outros olhos.

A Depressão é uma doença silenciosa, ligada a fatores emocionais diversos, como ansiedade, medo, carencia, frustração, pressão, stress, necessidade de aceitação, entre outros, e os sintomas podem ficar mascarados durante anos e anos…

Excelente análise sobre a depressão e de como foi mostrada no novo filme dos Vingadores por Luan Damascena

 

Esta página no FACEBOOK, está ajudando muitas pessoas com depressão, participe ou compartilhe com alguém

Facebook – Lutando contra a Depressão – Clique aqui

O canal O ARAUTO DOS INTERVENIENTES no YouTube, através dos seus vídeos, vem ajudando a reconstruir e fortalecer o interior de muitas pessoas

Clique aqui

Revisão: SR.Black

Compartilhe esse conhecimento com seus amigos(as)…