Na religião egípcia, Maat ou Ma’at é a deusa da verdade, da justiça, da retidão e da ordem.
É a deusa responsável pela manutenção da ordem cósmica e social, filha de Rá e esposa de Toth.

As primeiras aparições da deusa vem dos textos das pirâmides, onde ela é representada como uma mulher que tem na cabeça uma pena (que é o Hieróglifo para a verdade). O templo dedicado a Maat está no complexo de Karnak e estudiosos tem evidências que existiam outros em Deir el-Medina e Mênfis.

Maat também tinha um importante papel na hora de decidir se o morto entraria no submundo ou não. Para o morto alcançar o submundo, ele precisava fazer a chamada “confissão negativa” que era uma lista das coisas que o mesmo teria evitado de fazer em vida. Dentre eles estavam; Não matei, não roubei, não cometi adultério, não menti entre outros que ao total davam 42 confissões. Caso fosse aprovado nessas confissões o morto era considerado “Verdadeiro da palavra” (Maat Kheru – Expressão bem popular do antigo Egito) e poderia passar a uma nova sala onde passaria por uma balança.

A pesagem do coração era feita em uma balança utilizando de contra-peso a pena de Maat. O coração deveria pesar menos que a pena, para que o mesmo pudesse ter a vida eterna, caso o coração fosse mais pesado que a pena de Maat o morto era devorado por uma espécie de devorador de almas, chamado de Ammit.

E quando isso acontecia o morto deixava de existir, o que para os egípcios era algo de um enorme temor.

Dos Dez Mandamentos de Moises, oito deles pelo menos, foram retirados dos Princípios egípcios de Ma’at escritos pelo menos 2000 anos antes destes de Moisés.

Os 42 Princípios de Ma’at são umas das mais antigas fontes africanas de instrução moral e espiritual do mundo. Ma’at, o princípio divino egípcio antigo da Verdade, da Justiça e da Justiça, é o fundamento da ordem e unidade natural e social.

Os antigos africanos desenvolveram um sistema humano de pensamento e de conduta que foi registrado em volumes de literatura de sabedoria, tais como, essas declarações do Livro dos Mortos,

Os Ensinamentos de Ptah- Hotep, os escritos de Ani, Amenemope, Merikare e outros.

Aqui está uma coleção para lhe dar a idéia geral:

Eu não fiz iniqüidade.
Eu não roubei com violência.
Eu não tenho roubado.
Eu não fiz nada para sofrer dor.
Eu não defraudei ofertas.
Eu não fiz nenhum assassinato nem lancei ninguém para matar em meu nome.
Eu não cortei a medida.
Eu não falei mentiras e não roubei Deus.
Eu não causei o derramamento de lágrimas.
Eu não lidei enganosamente.
Eu não agi com muita loucura.
Eu não depostei resíduos na terra.
Eu não coloquei meus lábios contra ninguém.
Eu não fiquei irritado nem irritado sem uma causa justa.
Eu não desejei nem contaminei a esposa de qualquer homem.
Eu não poluí-me.
Eu não causei terror.
Eu não fiz o que é abominável.
Eu não multipliquei muito as palavras.
Eu nunca pronunciei palavras ardentes.
Eu não julguei apressadamente.
Eu não transgredi nem tenho irritado ou irritado Deus.
Eu não tapei meus ouvidos contra as palavras de Direito e Verdade.
Eu não queimei com raiva.
Eu não trabalhei com tristeza.
Eu não agi com insolência.
Eu não me vinguei.
Eu não despertei conflitos.
Eu não fui um espião.
Eu não prejudiquei as pessoas
Eu não fiz nenhum dano nem fiz mal
Não trabalhei traição.
Eu nunca surrupiei a água.
Eu não falei com desprezo.
Eu nunca deixei de amar Deus.
Eu não me comportei com arrogância.
Eu não invejei o que pertence a outro.
Eu não tirei comida da boca da criança. Não fiz nenhuma ferida a homem nenhum, nem feri aos animais.
Eu nunca ampliei minha condição além do que era apropriado.

Achou interessante ? coincidencia ? enfim, muito do que pensa como unica realidade, pode ter diversas origens bem diferentes daquelas que te contaram, estude, pesquisa, adquira conhecimento !!

Compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário, é muito importante para nós sua participação.

Revisão: SR.Black

Veja mais sobre Ma´at, neste video abaixo: