Imagem retirada do Google
Dentro do hinduísmo e dos vedas, há muitos deuses e formas de divindade.
Mas, dentre tantos, uma em especial chama a atenção por sua presença constante em nossa vida – esta é Maa Kali, a Mãe Negra.
Conta a história que, há muito tempo, havia um temível demônio que enganou o grande Deva Shiva após uma longa meditação, passando-se por seu servo.
Admirado com tamanha devoção, o senhor Shiva concedeu ao demônio uma graça, para que, de cada gota de seu sangue, milhares de outros iguais a ele nasceriam.
Usando-se de tal poder, o demônio assolou o mundo com terror e morte.
Irado por ter sido iludido pela criatura, Shiva juntou toda a sua ira, e rogou aos outros deuses que emanassem suas energias junto a ele.
Assim, nasceu Kali, terrível e brutal.
Armada com a força de todos os deuses, ela partiu à luta.
Em sua fúria, destruiu tudo quanto havia em seu caminho sem sequer se indagar se era inimigo ou aliado.
Decapitou todos os demônios e, com suas cabeças, fez um colar o qual usou como ornamento, e bebeu de cada um o seu sangue para que não mais renascessem. Entorpecida pelo calor da batalha e o sabor da vitória, ela começou uma dança frenética, pisoteando os cadáveres de seus oponentes caídos, e é dito que, a cada passo que dava, todos os mundos estremeciam e homem e mulheres desesperavam-se em terror e medo. Vendo isso, Shiva se lançou aos pés de Kali para que ela cessasse sua ira.
Quando percebeu que pisoteava o deus Shiva, ela voltou a si e tornou a sua calma.
Kali, então, faz-se como a representação de nossa natureza material mais bárbara e brutal. Ela representa o nosso desejo físico, nosso aspecto mundano, e nossa força interior.
Ela não é uma entidade de maldade, mas sim e força em seu sentido mais bruto.
Ela vive dentro de cada um de nós, e no mundo a nossa volta.
Kali é a força que nos prende a esse mundo e nos cega, não por ser negativa no mal sentido da palavra, mas porque, assim como Kali estava eufórica na batalha contra o demônio, nós estamos eufóricos no gozo de nossos sentidos físicos.
Kali é a representação desses sentidos.
Ela é a personificação de todos os prazeres mundanos e do desejo material que entorpece o espírito e o prende à vida terrena.
Não se deve enfrentar nossa Kali interior de forma direta.
Para nos libertarmos desse êxtase material, dessa euforia mundana, devemos aprender a reconhecer a Kali dentro de nós, e aprender a respeitar a sua força.
Reconhecer, não alimentar.
Pois compreendendo-a e aprendendo a aceitá-la, despertaremos para a sua origem, assim como Kali despertou após pisotear Shiva.
Conhecendo-a, podemos então compreender a divindade por trás dela, sua Fonte Primeira, e nos voltarmos novamente a Deus.
Negar a Kali é fortalecê-la, da mesma forma que um homem que nega seu pecado, peca duas vezes, a primeira por cometer o ato e a segunda, por mentir sobre ele.
Mas o homem que reconhece e aceita seu pecado, que reconhece e aceita seus desejos materiais, e os respeita, reconhece seus erros e está pronto para mudar.
Ele não voltará a cometê-los por ignorância.
Busquemos então compreender o que somos como o somos.
Somente assim pode o ser libertar-se de sua própria natureza material.

Revisão:SR.Black

Compartilhe esse conhecimento com seus amigos(as)…

Artigo anterior#DESPERTE – LUZ E TREVAS: A ETERNA BATALHA
Próximo artigo#DESPERTE – Aliens, porque eles não aparecem ?
SR Black
Pequena contribuição para todos que estão, como eu, trilhando o caminho de volta para Casa - para dentro de si mesmo. Meu objetivo aqui é compartilhar mensagens que encontro na net, ou que me são enviadas por amigos humanos ou Seres de outras realidades, dimensões ou planos existenciais, que ajudem na compreensão de várias áreas dentro do caminho espiritual. Tambem quero aqui compartilhar ensinamentos e técnicas que utilizo em meu caminho cujo objetivo é atingir a transmutação, alinhamento, harmonia, silêncio, Paz interior (que gera a exterior..), enfim... a união e a comunhão com o Divino. "Segue sempre teu coração; Mentes podem ser convencidas - o coração, não!" (Trecho do Livro "Mensagens dos Mestres - De Coração a Coração") "A Preocupação olha em volta, A Saudade olha para trás, A descrença olha para baixo, A Fé olha para cima, A Esperança olha para a frente e... O EU SOU vive o AGORA!" Muita Luz, Beleza, AMOR, Paz e BOM HUMOR sempre! Projeto Rumo a Nova Humanidade tem como objetivo: Em poucos anos, nosso planeta passará por imensas transformações em todos os níveis existenciais, portanto todos devemos: Promover todos os conceitos fundamentais para a elevação e iluminação do ser Amor, Liberdade, Perdão e Gratidão sobre todas as coisas Acolher, Amparar, Reeducar, Respeitar todos os seres vivos e proteger nosso planeta Orientar a todos através da busca constante do conhecimento Vamos todos juntos nos tornar melhores e livres, avançando sempre rumo a nova humanidade !!!